DEPUTADA LÊDA BORGES APONTA FALHAS NO PROGRAMA MÃES DE GOIÁS, EM VALPARAÍSO

DEPUTADA LÊDA BORGES APONTA FALHAS NO PROGRAMA MÃES DE GOIÁS, EM VALPARAÍSO

A deputada estadual Lêda Borges (PSDB) usou a Tribuna da Assembleia Legislativa (Alego) nesta quarta-feira, 23, para apontar falhas no Programa Mães de Goiás, na cidade de Valparaíso. Segundo ela, o programa limita as famílias vulneráveis porque os beneficiários não recebem a transferência direta de renda. 

Durante a fala, a parlamentar ressaltou que, em plena pandemia, o Governo Estadual acabou com um importante programa social implementado na gestão do ex-governador Marconi Perillo, o Renda Cidadã, que atendia cerca de 76 mil famílias de baixa renda. 

Somente no final de 2021, o atual governo decidiu criar um programa social neste sentido. De acordo com Lêda, houve uma tentativa de copiar o Renda Cidadã. 

“Tentou copiar, mas existe uma grande diferença. No Renda Cidadã, havia a transferência direta de renda para as famílias e elas decidiam o que iria comprar e onde comprar, pois tinham o recurso em mãos. Agora, com o Mães de Goiás, as famílias só podem passar o cartão nos estabelecimentos cadastrados, ou seja, o Governo é quem decide onde as compras serão feitas”, disse. 

Segundo a deputada, em Valparaíso, cidade com cerca de 230 mil habitantes, somente um supermercado aceita o cartão do Mães de Goiás. Os demais não receberam do Governo e não atendem mais as famílias que precisam passar o cartão.

“É um programa social que tem muitas falhas, a começar da condição limitante de atender as famílias que tenham crianças de até 6 anos. As outras crianças não precisam comer? Isso é algo desrespeitoso com a população vulnerável”, disse.