Voo de balão a 30 mil metros: conheça projeto que quer levar turistas à estratosfera

Empresa World View pretende entrar na briga das viagens turísticas nas alturas, mas não chegará ao espaço. Cheio de hélio, balão é do tamanho de um campo de futebol e se move a 20 km/h. Como será o voo do balão da World View até a estratosfera Depois dos voos de Elon Musk, Jeff Bezos e Richard Branson, uma nova empresa aposta em levar turistas às alturas. Com um balão do tamanho de um campo de futebol, os tripulantes da World View poderão ver a curvatura do planeta e apreciar grandes maravilhas da Terra lá do alto. A proposta é levar os passageiros a 30 mil metros de altitude — um balão comum vai a cerca de 40 metros. Isso é suficiente para alcançar a camada da estratosfera, mas não atingir o espaço. Compartilhe esta notícia no WhatsApp Compartilhe esta notícia no Telegram Empresa quer levar balão com turistas a 30 mil metros de altitude World View SAIBA MAIS SpaceX: voo durou 3 duas e foi marco do turismo espacial Blue Origin: Bezos disse que clientes da Amazon pagaram viagem Virgin: Branson se tornou o primeiro empresário a fazer viagem espacial O voo da Blue Origin, de Bezos, foi até 100 quilômetros (100 mil metros), enquanto da SpaceX entrou até em órbita, a 575 quilômetros (575 mil metros) de distância da Terra. Para participar da primeira viagem da World View, prevista para 2024, é preciso desembolsar US$ 50.000 — valor equivalente a quase R$ 275.000 (cotação de 8 de outubro de 2021). As outras empresas na corrida pelo turismo espacial não oferecem pacotes por menos de US$ 200.000 (R$ 1,1 milhão, em conversão direta). Passageiros vão em cápsula acoplada ao balão World View Devagar, sem gravidade zero Como não há uma grande aceleração como a dos foguetes, os passageiros da World View não terão aquela sensação de gravidade zero, de flutuação. Sua velocidade média é de 20 km/h, e as viagens devem durar entre 6 e 12 horas. Ryan Hartman, o presidente da World View, diz que é o voo é muito seguro. "Isso significa que a pressão interna é idêntica à pressão externa e sendo esse o caso, se você tem um buraco no balão, não é como se fosse estourar nem nada. Não vai ter nenhum tipo de impacto enorme. Na verdade, um buraco no balão não vai afetar o desempenho do voo por horas, senão dias", afirma. Afinal, quando poderemos ir ao espaço? Bilionário foi arremessado ao espaço como bola de basquete; entenda Balão usa gás hélio para subir World View Ao contrário dos balões convencionais, que sobem usando ar quente, o modelo espacial é preenchido com gás hélio, que expande o balão conforme fica mais alto. Isso dá aos passageiros uma elevação mais suave. Na descida, a cápsula com os tripulantes se desprende do balão, que pode ser reutilizado, e pousa com auxílio de paraquedas. Pouso da cápsula é feito com o auxílio de paraquedas World View Hartman diz que este tipo de viagem é mais "ecologicamente correto" por não gastar uma quantidade enorme de combustível. Vista do céu Lá de cima, os passageiros poderão ver a curvatura da terra e olhar para o espaço. Também avistarão maravilhas como a Grande Barreira de Corais, o Grand Canyon, a Muralha da China, o Serengeti, a Amazônia, a Aurora Boreal e as pirâmides de Gizé. Painel de controle do balão da World View World View Viagem da World View está prevista para 2024 World View Relembre as viagens ao espaço dos bilionários: Blue Origin, de Bezos Jeff Bezos no espaço: Veja os melhores momentos do voo e entenda o caso Virgin Galactic, de Branson VÍDEO: Veja os melhores momentos do voo de Richard Branson ao espaço Empresa de Musk foi a única a entrar em órbita SpaceX: 6 fatos sobre a missão que levou quatro civis para o espaço

Voo de balão a 30 mil metros: conheça projeto que quer levar turistas à estratosfera

Empresa World View pretende entrar na briga das viagens turísticas nas alturas, mas não chegará ao espaço. Cheio de hélio, balão é do tamanho de um campo de futebol e se move a 20 km/h. Como será o voo do balão da World View até a estratosfera Depois dos voos de Elon Musk, Jeff Bezos e Richard Branson, uma nova empresa aposta em levar turistas às alturas. Com um balão do tamanho de um campo de futebol, os tripulantes da World View poderão ver a curvatura do planeta e apreciar grandes maravilhas da Terra lá do alto. A proposta é levar os passageiros a 30 mil metros de altitude — um balão comum vai a cerca de 40 metros. Isso é suficiente para alcançar a camada da estratosfera, mas não atingir o espaço. Compartilhe esta notícia no WhatsApp Compartilhe esta notícia no Telegram Empresa quer levar balão com turistas a 30 mil metros de altitude World View SAIBA MAIS SpaceX: voo durou 3 duas e foi marco do turismo espacial Blue Origin: Bezos disse que clientes da Amazon pagaram viagem Virgin: Branson se tornou o primeiro empresário a fazer viagem espacial O voo da Blue Origin, de Bezos, foi até 100 quilômetros (100 mil metros), enquanto da SpaceX entrou até em órbita, a 575 quilômetros (575 mil metros) de distância da Terra. Para participar da primeira viagem da World View, prevista para 2024, é preciso desembolsar US$ 50.000 — valor equivalente a quase R$ 275.000 (cotação de 8 de outubro de 2021). As outras empresas na corrida pelo turismo espacial não oferecem pacotes por menos de US$ 200.000 (R$ 1,1 milhão, em conversão direta). Passageiros vão em cápsula acoplada ao balão World View Devagar, sem gravidade zero Como não há uma grande aceleração como a dos foguetes, os passageiros da World View não terão aquela sensação de gravidade zero, de flutuação. Sua velocidade média é de 20 km/h, e as viagens devem durar entre 6 e 12 horas. Ryan Hartman, o presidente da World View, diz que é o voo é muito seguro. "Isso significa que a pressão interna é idêntica à pressão externa e sendo esse o caso, se você tem um buraco no balão, não é como se fosse estourar nem nada. Não vai ter nenhum tipo de impacto enorme. Na verdade, um buraco no balão não vai afetar o desempenho do voo por horas, senão dias", afirma. Afinal, quando poderemos ir ao espaço? Bilionário foi arremessado ao espaço como bola de basquete; entenda Balão usa gás hélio para subir World View Ao contrário dos balões convencionais, que sobem usando ar quente, o modelo espacial é preenchido com gás hélio, que expande o balão conforme fica mais alto. Isso dá aos passageiros uma elevação mais suave. Na descida, a cápsula com os tripulantes se desprende do balão, que pode ser reutilizado, e pousa com auxílio de paraquedas. Pouso da cápsula é feito com o auxílio de paraquedas World View Hartman diz que este tipo de viagem é mais "ecologicamente correto" por não gastar uma quantidade enorme de combustível. Vista do céu Lá de cima, os passageiros poderão ver a curvatura da terra e olhar para o espaço. Também avistarão maravilhas como a Grande Barreira de Corais, o Grand Canyon, a Muralha da China, o Serengeti, a Amazônia, a Aurora Boreal e as pirâmides de Gizé. Painel de controle do balão da World View World View Viagem da World View está prevista para 2024 World View Relembre as viagens ao espaço dos bilionários: Blue Origin, de Bezos Jeff Bezos no espaço: Veja os melhores momentos do voo e entenda o caso Virgin Galactic, de Branson VÍDEO: Veja os melhores momentos do voo de Richard Branson ao espaço Empresa de Musk foi a única a entrar em órbita SpaceX: 6 fatos sobre a missão que levou quatro civis para o espaço